Médicos veterinários e zootecnistas aprovam o Seres. E você, já conhece o banco de conhecimento?

11 de setembro de 2017

Por Flávia Lôbo

De acesso gratuito e totalmente online, o Seres - Banco de Conhecimento da Medicina Veterinária e Zootecnia -  é uma plataforma colaborativa, criada pelo Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV) para recolher e armazenar conhecimento produzido pelos profissionais, incentivando a discussão, a interação, a troca de saberes e a construção de mais conhecimento.

Criando em março deste ano, o Seres já conta com a participação de mais de 1700 profissionais e 770 estudantes. Ali, as informações fluem de acordo com a interação entre as pessoas. A proposta é disponibilizar as informações adquiridas na academia, na pesquisa ou no dia a dia de forma simples e segura, mas, fundamentalmente, permitindo a interação e a troca.


Natasha Frezza de Oliveira. Foto: arquivo pessoal

Uma das profissionais que utilizou a plataforma e aprovou foi a médica veterinária Natasha Frezza de Oliveira, 35 anos, de São José (SC). Ela atua na área de clínica, cirurgia e anestesia de pequenos animais. “Tenho observando muitas coisas absurdas na Medicina Veterinária relacionadas à ética e às leis; resolvi entender melhor sobre alguns aspectos legais da profissão no âmbito jurídico” relata.

Natasha descobriu o Seres por meio de uma pesquisa na internet. “Achei a iniciativa do CFMV muito interessante. O conteúdo é de fácil entendimento e muito bem elaborado”, opina.


Alexandra Pretto. Foto: arquivo pessoal

A zootecnista da Universidade Federal do Pampa, em Uruguaiana (RS), Alexandra Pretto, 34 anos, atua na área de nutrição, saúde, bioquímica e metabolismo em peixes; além de processamento de pescado. Ela disse que conheceu o Seres por meio da revista do CFMV. “Cadastrei-me para conhecer o site e, logo depois, realizei um curso de Responsabilidade Técnica em Sanidade na Piscicultura”.

Alexandra conta como que o Seres tem ajudado sua formação. “ O curso que fiz me auxiliou em rever conhecimentos importantes sobre sanidade em piscicultura que podem ser utilizados diariamente na profissão”.


Marlen do Carmo Silva. Foto: aquivo pessoal

O médico veterinário Marlen do Carmo Silva, 36 anos, de Santarém (PA), também ficou sabendo do Seres pela revista do CFMV. Ele atua em clínica de pequenos animais, mas fez curso de Medicina Veterinária Legal e já se inscreveu para o próximo curso da mesma área.

“Achei interessante a iniciativa do CFMV, visto a dificuldade de acesso a cursos e treinamentos voltados à veterinária em minha região. Ao final, temos certificação com autenticidade do Conselho. Os conteúdos são dinâmicos e com linguagem acessível aos profissionais que atuam em qualquer especialidade”, diz o veterinário.


Cleide Lúcia Araújo Silva. Foto: arquivo pessoal

Cleide Lúcia Araújo Silva, 42 anos, trabalha há 15 anos na área de Animais de Laboratório, com ênfase em modelos animais de doenças hematológicas. A médica veterinária ficou sabendo da plataforma por meio de um colega em um grupo de discussão. Para ela, essa é uma iniciativa do CFMV que veio ao encontro das necessidades dos profissionais.

“Achei ótima a ação do Conselho. O Seres deve ser explorado como ferramenta de atualização e enriquecimento sobre assuntos, no meu caso sobre Responsabilidade Técnica em Instalações Animais. O curso me auxiliou na consolidação de conceitos aplicados à ética, bem-estar e biossegurança voltados às instalações de animais para pesquisa biomédica”, revela a profissional.

 

Saiba mais:

Seres: CFMV lança Banco de Conhecimento da Medicina Veterinária e Zootecnia

Quer ter acesso a maior rede de conhecimento da Medicina Veterinária e Zootecnia? Acesse seres.cfmv.gov.br

Seres: saiba como acessar o Banco do Conhecimento da Medicina Veterinária e Zootecnia

Seres: junte-se aos profissionais e estudantes já conectados e dissemine conhecimento sobre a Medicina Veterinária e Zootecnia

 

Assessoria de Comunicação CFMV