CFMV e Mapa discutem parceria para reforçar atuação do médico veterinário na organização das cadeias produtivas

01 de setembro de 2017

Por Carolina Menkes

O Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV) se reuniu com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) na última sexta-feira (25), na sede do CFMV, para discutir parceria que tem como objetivo organizar o trabalho das cadeias produtivas agropecuárias e garantir maior envolvimento de médicos veterinários no processo. Participaram da reunião o presidente do CFMV, Benedito Fortes de Arruda; o superintendente Federal da Agricultura no Distrito Federal, Bernardo Sayão; e o chefe de Políticas Agrícolas da SFA-DF, Cristiano Guedes.

               Da esquerda para a direita, Bernardo Sayão (SFA/DF); Benedito Fortes de Arruda (CFMV); Cristiano Guedes (SFA/DF). Foto: Ascom/DF

A parceria visa o apoio do CFMV dentro das diferentes áreas da cadeia produtiva, em âmbito nacional e internacional. No caso do comércio exterior, a ideia é que haja realização de cursos conjuntos com o Mapa e prestação de consultorias.

“Queremos valorizar o médico veterinário, contextualizando sua atuação dentro da estrutura da cadeia produtiva e reforçando sua importância para a saúde pública”, afirmou Sayão.

Segundo o superintendente, a ideia é que médicos veterinários dos setores público e privado estejam mais envolvidos nas áreas de fiscalização e fomento. “Queremos desenvolver nos profissionais um caráter mais empreendedor, já que ainda é prioritariamente técnico e científico”, diz.

O presidente do CFMV ressaltou também a importância de Responsáveis Técnicos nos estabelecimentos. “É preciso fortalecer o trabalho dos RTs, não só dentro dos frigoríficos, mas também em casas de ração e produtos veterinários”, pontuou Arruda. 

A atuação do médico veterinário deve se dar em todos as etapas, do controle de sanidade, até o mercado e a exportação dos produtos. A organização da cadeia, portanto, envolve diversos aspectos que influenciam diretamente o consumidor. “Uma cadeia desorganizada gera diversos problemas de saúde pública e para o meio ambiente, que afetam também a empregabilidade, os insumos e a conformidade dos frigoríficos. Ao organizarmos a cadeia, movimentamos a economia do município e da região”, explica Cristiano Guedes.

A criação de uma legislação mais ampla, que abranja os municípios, também foi pauta da reunião, já que, segundo o Mapa, muitos municípios não possuem legislação sobre o tema ou serviço de inspeção, o que impacta negativamente na qualidade dos produtos.

Assessoria de Comunicação do CFMV