CFMV entrega ao Conselho Nacional de Educação proposta de mudança nas Diretrizes Curriculares Nacionais da Medicina Veterinária

23 de fevereiro de 2017

Por Flávia Lôbo e Lisiane Cardoso

O presidente do Conselho Federal de Medicina Veterinária, Benedito Fortes de Arruda e o secretário-geral do CFMV, Marcello Roza, entregaram nesta quarta-feira (22/02) ao Conselho Nacional de Educação uma proposta de atualização das Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Medicina Veterinária.

Em reunião com o secretário-executivo do Conselho Nacional de Educação, Henrique Sartori, em Brasília (DF), o CFMV demonstrou a preocupação com a qualidade da formação dos médicos veterinários e ressaltou a necessidade de atualização das DCNs em virtude das novas exigências do mundo atual. O Brasil é hoje o país com o maior número de cursos de Medicina Veterinária.

“Nos últimos anos fizemos um amplo debate e entendemos que estava chegando o momento de reformular as Diretrizes Curriculares e construir uma proposta que atenda aos novos paradigmas”, afirmou o presidente do CFMV, Benedito Fortes de Arruda.

Presidente do CFMV, Benedito Fortes de Arruda (esq.), secretário-executivo do CNE, Henrique Sartori e secretário-geral do CFMV, Marcello Roza. Foto: Ascom/CFMV

O documento entregue ao Conselho Nacional de Educação foi elaborado pelo CFMV com a contribuição dos Conselhos Regionais de Medicina Veterinária (CRMVs), de Instituições de Ensino Superior (IES) e foi aprovado pela Plenária do CFMV.

“Deixamos bem claro na nossa proposta que a formação do médico veterinário é generalista, no mundo todo é assim. Os cursos que venham a ser criados devem se preocupar com a formação generalista”, destacou o presidente do CFMV.

 O secretário-executivo do Conselho Nacional de Educação prometeu celeridade em pautar o assunto nas discussões da Câmara de Educação Superior (CES) do CNE e ressaltou que o momento é propício já que a preocupação com a qualidade do ensino e da formação profissional são demandas atuais da sociedade. 

O presidente do CFMV, Benedito Fortes de Arruda afirma estar otimista com o andamento da proposta no Conselho Nacinal de Educação. Assista! 

 

Sobre a proposta

A proposta apresentada pelo CFMV pretende alterar a Resolução nº 1/2013  do CNE que institui as Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Medicina Veterinária (DCNs).

A iniciativa de modernização das DCN’s surgiu no âmbito dos Seminários de Educação da Medicina Veterinária promovidos anualmente pelo CFMV e do anseio da sociedade acadêmica e usuários por melhores serviços veterinários.

O presidente da Comissão Nacional de Educação da Medicina Veterinária do CFMV, Felipe Wouk, explica que, apesar dos conceitos de vanguarda que constam nas DCN’s vigentes, as normas foram promulgadas em 2003.

“O dinamismo da sociedade atual demanda por mudanças nas diretrizes, pois elas são as norteadoras da formação dos profissionais que estarão atuando na sociedade no futuro. Alguns temas importantes surgiram nos últimos anos e não estão explicitados nas DCN’s, como saúde única e bem-estar animal”, esclarece Wouk.

O CFMV sugeriu várias alterações no texto, como: inclusão de um artigo que explicita os princípios básicos do curso de Medicina Veterinária; revisão e modernização no artigo que trata dos conteúdos essenciais para o curso; estabelecimento de um teto de 10% da carga horária total do curso para atividades complementares; obrigatoriedade de que o curso seja ministrado no período diurno; estímulo a inserção do estudante desde os semestres iniciais nos serviços veterinários; inclusão dos conceitos de Saúde Única (saúde animal, humana e ambiental) e bem-estar animal; dentre muitos outras.

Com as mudanças, o CFMV contribui para melhorar a formação dos estudantes de Medicina Veterinária, preparando-os para o mercado de trabalho. Os médicos veterinários atuantes terão também um norteador para sua formação continuada; e sociedade será a mais beneficiada, pois encontrará serviços com profissionais mais capacitados e afinados com as necessidades atuais.

Assessoria de Comunicação CFMV