CFMV contribui para consultas públicas sobre febre aftosa e importações de camarões

10 de janeiro de 2020

Para as diretrizes de vigilância da febre aftosa, submetidas à consulta pública pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) desde outubro de 2019, o Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV) ressaltou que o sucesso com as emergências veterinárias depende, em grande parte, da eficiência das primeiras investigações.

Por isso, recomendou ao Mapa que, além dos casos confirmados, os casos suspeitos e prováveis também recebam o fortalecimento necessário para as estruturas de gestão de emergências zoossanitárias e para os mecanismos de disponibilização de recursos para ações emergenciais.

Já para consulta pública sobre a análise de risco de importação de camarões, a sugestão do CFMV é excluir o aditivo polifosfatos, uma vez que já existem normas (IN 23/2019 e CNS/MS  4/1988) que proíbem o uso em pescados frescos, sendo permito unicamente em produtos congelados.

Assessoria de Comunicação do CFMV