11 de Agosto, Dia do Estudante

09 de agosto de 2019

9 de agosto de 2019

O dia 11 de Agosto é uma data histórica para a educação brasileira. Foi neste dia, em 1827, que o então imperador Dom Pedro I autorizou a criação das duas primeiras faculdades do Brasil: a Faculdade de Direito de Olinda, em Pernambuco, e a Faculdade de Direito do Largo do São Francisco, em São Paulo.

Para o presidente da Comissão Nacional de Educação da Medicina Veterinária (CNEMV/CFMV), Rafael Gianella Mondadori, o Dia do Estudante é especial, pois valoriza quem se dedica total ou parcialmente à aquisição do conhecimento, ou seja, pessoas que dão valor a esse bem inestimável que é o conhecimento.

O ato de aprender, atualmente, não está restrito a exercitar a memória; o aprendizado, hoje, envolve o desenvolvimento de habilidades e competências de diversos níveis. O estudante de Medicina Veterinária, ao final do período de graduação, deve vencer grandes desafios e estar apto a compreender e traduzir as necessidades de indivíduos, grupos sociais e comunidades, com relação às atividades inerentes ao exercício profissional. “Esse desenvolvimento está diretamente ligado à qualidade do curso de Medicina Veterinária”, afirma Mondadori.

Na opinião do presidente da CNEMV, temos no Brasil uma situação grave que não se vê em países que encarem de maneira séria a educação superior. Primeiramente, temos praticamente a metade do número dos cursos de Medicina Veterinária do mundo (406 cursos), enquanto os Estados Unidos tem 30 cursos. Temos também absurdos como cursos de Medicina Veterinária noturnos e sendo ofertados na modalidade EaD, além de, segundo dados do Tribunal de Contas da União e da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico, um sistema de avaliação oficial da educação superior que, segundo Mondadori, não é efetivo em prevenir a oferta fraudulenta de cursos superiores. Diante desse cenário, o CFMV, após uma avaliação criteriosa, outorga um selo de acreditação a cursos de Medicina Veterinária que atesta a qualidade desses cursos.

Atualmente, o Brasil possui apenas seis cursos de Medicina Veterinária acreditados, ministrados nas seguintes instituições: Universidade Federal de Lavras (UFLA); Universidade Estadual Paulista (Unesp), campus Botucatu; Universidade de São Paulo (USP); Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), em Belo Horizonte; e Pontifícia Universidade Católica (PUC Minas), nos campus das cidades de Betim e Poços de Caldas.

O CFMV, em sua luta constante pela qualidade da oferta de cursos superiores no Brasil, mesmo diante do cenário desfavorável apresentado, parabeniza a todos os estudantes que optaram por essa nobre e importante profissão, imprescindível para o desenvolvimento social e econômico do país.

Assessoria de Comunicação, com informações da Comissão Nacional de Educação da Medicina Veterinária (CNEMV/CFMV)