Recomendações do CFMV antes de escolher um animal

07 de dezembro de 2018

Antes de ter um animal sob sua guarda, o Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV) recomenda que o tutor procure um médico-veterinário para se informar sobre as necessidades da raça de interesse, a expectativa de vida do animal, quais serão os cuidados necessários, os custos envolvidos e as doenças mais comuns.

Os tutores precisam saber que um cão ou gato pode viver por 10, 15 ou 20 anos, a depender da raça e do porte. Durante todo esse período, o animal deve:

- ser acompanhado por médico-veterinário, para prevenir ou tratar alguma doença;

- ser devidamente alimentado, com dieta adequada;

- vacinado periodicamente para evitar doenças;

- ter sua reprodução controlada para evitar crias indesejadas;

- ter espaço suficiente e enriquecido para exercer seu comportamento natural e, ao mesmo tempo, ter um lugar coberto e protegido de sol e chuva;

- ser educado com paciência quando filhote, época que demanda bastante atenção;

- receber cuidados especiais quando envelhecer e tiver dificuldades para comer, se locomover e precisar de medicação especial; e principalmente,

- jamais ser abandonado.

E quando o tutor for viajar? O animal continuará tendo necessidade de todos esses cuidados. Seu amigo de patas pode até seguir viagem junto, mas isso requer toda uma logística e atender procedimentos administrativos e sanitários previstos em legislação. 

Caso não possa levá-lo, será preciso hospedá-lo em um hotel especializado para pets, ou combinar de deixá-lo sob os cuidados de um amigo ou familiar que se responsabilize durante a sua ausência. 

Ter a guarda de um animal envolve uma série de condições e responsabilidade que vão demandar investimento financeiro e dedicação por uma ou duas décadas. Avalie todas essas exigências antes de se comprometer. 

Como já existem muitos animais abandonados, que necessitam de um lar, o CFMV recomenda a adoção. Não escolha pela raça ou pela aparência.  Decida pelo comportamento e temperamento do animal. O nível de energia ou atividade espontânea são muito mais importantes do que a cor ou o tamanho do animal.

No entanto, se for comprar, faça de forma responsável. A sugestão é que visite pessoalmente as instalações do criador, observe a organização, a higiene, os aspectos dos animais e o comportamento deles na sua presença e do criador.

Bons criadores terão prazer em recebê-lo e estarão preocupados em encontrar boas famílias para seus filhotes. Por isso, não compre pela internet, nem em feiras ou pet shops. 

E o mais importante: jamais abandone. A guarda responsável é o caminho para diminuirmos a quantidade de animais errantes que estão desamparados, vulneráveis e sem a devida tutela de um responsável.

Assessoria de Comunicação do CFMV