05 de junho- Dia Mundial do Meio Ambiente

05 de junho de 2018

No Dia Mundial do Meio Ambiente, comemorado em 5 de junho, o Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV) reforça o seu compromisso em exercer a Medicina Veterinária e a Zootecnia com o menor impacto ambiental possível, promovendo a saúde e o bem-estar único dos animais e da sociedade.

A humanidade cresceu e se desenvolveu explorando e degradando os recursos naturais durante muitas décadas consecutivas, como espécies animais e vegetais extintas que o planeta não tem mais condições de recuperar.

As mudanças que ocorrem nos diversos ecossistemas do planeta têm os primeiros efeitos negativos observados nos animais, sejam eles domésticos ou silvestres. A poluição do ar e da água compromete a disponibilidade de alimentos, plantas, frutos e outras fontes nutricionais, provocando doenças respiratórias e carências metabólicas nos animais. Essa é uma das razões que faz com que o papel do Médico Veterinário seja fundamental no monitoramento das doenças ocorridas no meio ambiente e na saúde, o que lhe confere a liderança na área da saúde ambiental.

As Ciências Veterinárias encontram-se numa posição única em relação ao bem-estar coletivo, pois prepara o médico veterinário para que possa contribuir para a luta contra as duas maiores catástrofes da humanidade: a fome e a doença.

A contribuição da Ciência Veterinária para o planeta é vista também na pesquisa biomédica, nos programas estratégicos de proteção à saúde animal e a saúde pública e nas políticas de biossegurança alimentar que visam aumentar a oferta e a qualidade dos alimentos de origem animal.

A Medicina Veterinária e Zootecnia são aliadas em busca da sinergia homem, natureza e animais. 

 

Resíduos

Dentre os principais problemas que afetam o meio ambiente, podemos destacar o descarte inadequado de lixo, a falta de coleta seletiva e de projetos de reciclagem, consumo exagerado de recursos naturais, desmatamento, inserção de espécies exóticas, uso de combustíveis fósseis, desperdício de água e esgotamento do solo. Essas e outras dificuldades  poderiam ser evitadas se os governantes e a população se conscientizassem da importância do uso correto e moderado dos nossos recursos naturais.

O efeito dos inseticidas, pesticidas, fertilizantes, anti-parasitantes e o seu potencial impacto na deterioração da ecologia deve ser objeto de especial atenção e vigilância.

A produção animal e o manejo zoosanitário também requerem cuidados quanto à geração e gestão de resíduos, tanto nos utilizados na profilaxia animal como em vacinas, antimicrobianos e em outros medicamentos em geral, classificados também como resíduos de serviços de saúde animal. Portanto, os profissionais que atuam na área de produção deverão ter foco e conhecimento para mitigar os impactos ambientais gerados, além das metas de lucro.

Portanto, 05 de junho não é apenas uma data com propósito de conscientizar as pessoas quanto às questões ambientais e o que cada uma pode fazer no seu cotidiano para promover a melhoria ambiental, é também um momento para os profissionais refletirem quanto aos compromissos profissionais assumidos e, no caso da Medicina Veterinária envolve o compromisso socioambiental e sanitário, ou seja, com a Saúde Única.

Artigo redigido pela Comissão Nacional de Meio Ambiente do CFMV (CNMA/CFMV)

Saiba mais sobre a CNMA, clique aqui.

 

Assessoria de Comunicação do CFMV