CFMV participa de discussões sobre o bem-estar de animais de laboratório

18 de novembro de 2016

Por Carolina Menkes

Desde a década 50, profissionais que trabalham com animais de laboratório se reúnem anualmente no Congresso da Associação Americana de Animais de Laboratório (AALAS), para discutir a produção, o manejo e, mais recentemente, o bem-estar de animais de laboratório. Com esse objetivo, a Comissão Nacional de Ética, Bioética e Bem-estar Animal do Conselho Federal de Medicina Veterinária (Cebea/CFMV) esteve presente na 67ª edição do evento, realizada em Charlotte, nos Estados Unidos, entre 30 de outubro e 3 de novembro.

Segundo a integrante da Cebea/CFMV, a médica veterinária Ingrid Atayde, a participação no Seminário foi importante para sanar dúvidas recorrentes apresentadas à Comissão por parte das Comissões de Ética no Uso de Animais (Ceuas) sobre o bem-estar desses animais.

A interação com profissionais de outros países no evento também contribuiu e complementou o trabalho que a Cebea/CFMV vem realizando. Atayde destacou experiências de universidades do exterior que dão cursos online, incluindo mestrados, sobre o tema. “No Brasil é difícil exigir responsáveis técnicos nos laboratórios pois não temos nível de capacitação em larga escala”, afirmou.

Foto: Arquivo Pessoal 

Discussões e palestras

Entre os temas discutidos no evento, Atayde destacou a palestra Desprovidos de Espinha, mas não de coração: uma visão científica da dor em invertebrados. “Foram apresentadas espécies muito utilizadas em pesquisa, que vão de moluscos e formigas a formas de vida que nem imaginamos, como espécies aquáticas microscópicas”, ressaltou.

Segundo ela, apesar de não comprovada, as evidências são no sentido que estes animais podem sim sentir dor.

Outra discussão abordou o que o público realmente pensa sobre o uso de animais em pesquisa. Segundo apresentado na palestra, a forma como se pergunta pode influenciar a resposta. “Por exemplo, 60% das pessoas se mostraram contra quando se perguntava apenas o que se achava de uso de animais em pesquisa. Mas ao contextualizar o uso para o tratamento do câncer, por exemplo, a conversa mudava”, diz.  

Na ocasião, Ingrid Atayde citou experiências de casos positivos Brasil e também realizados pela Cebea/CFMV, ligados à posse responsável e ao trabalho de conscientização feito com crianças de 9 a 11 anos. “A partir do momento em que se explica que a pesquisa é feita com número restrito de animais, que existem regras, as pessoas vão entendendo melhor”, pontuou.   

Outro destaque foi a apresentação sobre as estratégias para abordagem dos comitês de ética e procedimentos para animais de pesquisa. O interesse dos animais em não sofrer, tema do próximo Congresso Nacional da Cebea/CFMV (link), a ser realizado em abril de 2017, foi discutido na palestra.

Um diferencial da palestra, segundo Atayde, foi a relação feita entre o conceito de Telos, de Aristóteles e o bem-estar animal. Para Aristóteles, telos era a finalidade que cada coisa deveria atingir. “O que faz aquele animal ser de determinada espécie? Foi mostrado que se precisar privar o primata do contato social haverá um impacto enorme, que será menor para roedores, por exemplo. Então devemos pensar na adaptação que deve ser feita para diminuir esse impacto, permitindo que o animal desempenhe o comportamento que é próprio da espécie”, explicou.

O 67ª AALAS trouxe ainda técnicas de ensino-aprendizagem para fixar conteúdos sobre o tema, abordando desde a estrutura dos laboratórios, técnicas de segurança e treinamento de funcionários até a elaboração de jogos para fixação de conteúdos.

Outros temas relevantes também foram levados ao Congresso, como a uniformização das legislações dos Estados Unidos e da União Europeia sobre o uso de animais em laboratório; protocolo de vacinação para animais de pesquisa; comportamentos anormais de roedores em laboratórios; técnicas de acupuntura e seu uso em animais de laboratório; técnicas de avaliação da dor; entre outros.  “Participar desse evento foi muito bom para ver que estamos alinhados com outros países e que estamos no caminho certo”, finalizou a representante da Cebea/CFMV.

Saiba mais: Programe-se: IV Congresso Brasileiro de Bioética e Bem-estar Animal será realizado em abril de 2017

Assessoria de Comunicação do CFMV